segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Sacos de mentira para atletas



Olá a todos,

Este post é destinado a todos os atletas, praticantes de atividades físicas e pessoas que se preocupam com sua alimentação e saúde.

Houve uma época em que eu ficava irritado com todo mundo quando abordávamos o tema "comida". Quem aqui, que se preocupa com alimentação, nunca passou por situações sociais onde os amigos tiraram sarro, você foi visto como xiita, no caso dos homens, chamado de viado, quando demonstrava alguma preocupação alimentar? 

Seus problemas se acabaram! Criei os novos "SACOS DE MENTIRAS TABAJARA".

Apesar de ter uma alimentação de atleta nos últimos três anos, tenho uma alimentação super balanceada a quase quinze anos e posso afirmar que já passei por todas as situações possíveis e imagináveis em todos os círculos sociais e eventos. Venho, portanto, compartilhar com meus amigos da boa saúde à mesa, minhas dicas para se contornar, pelo menos quando é possível, estas situações desagradáveis.


A primeira coisa que precisamos entender é que, por algum motivo histórico que eu desconheço, praticamente todas as nossas interações sociais giram em torno da comida. Aniversários, natal, ano novo, confraternizações, happy hours, comemorações, bate-papos, reuniões com amigos, enfim, TUDO. Não existe um momento se quer que algum compromisso seja marcado que em algum momento não surja o ato de se sentar a uma mesa e pedir algo para comer. Portanto, a pessoa que quer ter uma boa alimentação precisa ser lisa, precisa ser matreira (rsrsrs), praticamente táticas de guerrilha devem ser empregadas para conseguirmos "sair bonitos", não sermos anti-sociais, sem comer aquele monte de merda que 99% das pessoas comem e sem ninguém nos encher o saco.

Dividirei esse post em situações que normalmente nos deparamos. Para cada um há um saco de mentiras determinado rsrsrsrrs. Carregue sempre o seu saco de mentiras. Nunca, repito, NUNCA fale coisas como "estou treinando para uma maratona", ou "estou fazendo uma dieta", ou "preciso perder peso". Será alvo de chacota. O mundo precisa ter pessoas que acordam, trabalham até morrer, comem tranqueiras o dia inteiro, ficam gordos ou com saúde debilitada e dão dinheiro para médicos. Se você quer ser uma exceção a esta regra, sofrerá represalhas (rsrsrsrrs). Você não fará parte do clubinho e isso encomoda muita gente. Ninguém quer o seu bem. Portanto, USEM O MALDITO SACO DE MENTIRAS!


Situação: É convidado para um almoço comemorativo ou churrasco.

Antes de precisar lançar mão do saco de mentiras e antes de pegar o carro para ir no tal evento, coma! Faça um bom rango em casa, esqueça aquela coisa ridícula do "hoje vou comer de graça" e, como dizem, vá comido!

Pegue uma mochila térmica, coloque comida de qualidade dentro e deixe no carro, afinal, o tal evento pode demorar mais de quatro horas e aí, a fome vai bater.
Quando chegar, obviamente, você não vai comer. Vão perguntar o porquê. Se você falar "já comi porque estou treinando para um Ironman", terá que ir embora tal será o nível da alopração. Aqui, neste momento, lance mão do saco de mentiras. Fale que já comeu porque teve um compromisso antes, com sua mãe/pai (isso mesmo, usar a mãe e pai é ótimo. É uma desculpa auto-complacente por si só) e teve que comer. Se quiser ainda incrementar a mentira, faça aquela cara de estufado e fale algo como "nossa, minha mãe fez uma lazanha animal, comi que nem um porco". Você estará perdoado pelas próximas horas.

A fome vai bater, obviamente, daqui umas três horas. "Puta merda! preciso ir até o carro". Se estiver frio, a desculpa está pronta. "Galera, vou até o carro pegar uma blusa". Seu banquete da tarde de 5 minutos está salvo. Lembre-se, obviamente, de voltar devidamente agasalhado (rsrsrsrs). Se estiver calor, seu saco de mentiras vai ter que ser versátil. Terá que ser sagaz. Analise a situação. Se for algum sítio, algum lugar onde o carro está distante e ele não está no campo de visão, chegue para algum amigo que normalmente é aquele zoador e fala "onde é o banheiro?". Mesmo que o cara te zoar na festa inteira falando que você foi cagar, isso é infinitamente melhor do que se você admitir que está com dieta restrita, afinal, todo mundo caga. 

Lembre-se de suas épocas de esconde-esconde na rua, e vá até o carro. Vai ter a sensação que está em um vídeo game. Aprenda a se divertir com isso e não se irrite rsrsrsrs.

Caso o carro esteja em algum lugar mais inviável, por exemplo, na rua, e você está em um prédio, use o saco de mentiras para tirar algo do tipo "Peraí que vou no carro pegar um CD classe pra rolar aqui". Volte com o maldito CD (pirata, obviamente, já que o esquecerá no lugar) e com a pança cheia.

Situação: Está no trabalho e chegou a hora do almoço

Esta é a situação mais complicada na minha visão, porque ela não é ocasional, mas freqüente. Todos os dias. Aqui, o seu saco de mentiras tem que ser do tamanho do Papai Noel as 20hs do dia 24 de dezembro (rsrsrsr). 

No trabalho, você nunca deve falar que está treinando para alguma prova, seja lá ela qual for. No ambiente de trabalho, você deve fingir que é o cara mais comprometido com a empresa e toda aquela pataquada, deve aparentar uma pessoa que trabalha 25 horas por dia e que se dedica de corpo e alma para aquilo. A empresa não dá a mínima para sua felicidade, ela quer saber de você produzir, portanto, falar que você usa algumas horas da sua vida para treinar e se dedicar para algo, podem acreditar, a primeira oportunidade que algum animal tiver de falar coisas como "você não está rendendo porque treina demais", de preferência na frente de chefes para tostar o seu filme (isso quando o próprio chefe não faz isso na frente da diretoria), ele o fará. Não dê essa brecha, use o maldito saco de mentiras SEMPRE, não só para alimentação, mas para tudo! As pessoas do escritório gostam de desgraça. Se você precisar sair umas 19hs para treinar, mas as 18:55 aparece aquela reunião "inadiável" que nada de importante será decidido, use alguma desgraça. Mãe no hospital, compromisso com pai inadiável para ver sua vó doente, enfim, seja criativo. Deixe um saco de mentiras na sua gaveta do escritório (rsrsrsrs).

Me empolguei rsrsrs, voltemos ao almoço. Quando soa por volta de 12hs, sempre tem aquela pessoa que chama todo mundo para almoçar. Na imensa maioria das vezes, o restaurante é bizarro e caro. Normalmente, quem treina, além de ter que comer com qualidade, precisa de quantidade. Esse apetite voraz não é condizente com restaurantes que você paga 40 cruzeiros e vem um pratinho com duas folhas de alface e um filé. Precisamos comer, no almoço, normalmente, a quantidade que as pessoas normais comem o dia inteiro. 

O melhor tipo de restuarnte para pessoas que fazem dieta restrita são, indiscutivelmente, os self-service. Ali, teoricamente, deveria agradar a todos, no entanto, existe uma imensidão de pessoas que por algum motivo adoram ser servidas. Adoram ficar sentadas e pedir algo ao garçon. Restaurantes a lá carte não combinam com alimentação restrita. Acredito que abordarei esse tema em outro post (rsrsrsrrs). Sendo assim, quando aquela pessoa passar falando "vamos almoçar pessoal?", dá uma de louco e vá para o banheiro. Sente-se na privada durante os minutos que julgar conveniente para que a tropa já tenha zarpado para o "Gorducho e Companhia Cozinha Mineira". Como em um filme da série "Missão Impossível", saia do banheiro, dê uma espiada pelas baias e veja se realmente a galera se foi. Se vc demorar agora, corre o risco de passar algum infeliz e dizer "Nossa! te achei!!! Vamos almoçar?". Sejá rápido!!! Vá no restaurante self-service que você paga 15 cruzeiros e come a vontade e se entupa de comida de qualidade.

O bacana é que você ainda pode se fazer de vítima. Ao voltar para o escritório, você pode soltar uma "Pô gente, procurei todo mundo para ir comer, tive que ir sozinho" rsrsrsrrsrs.

É óbvio que essa tática não dá certo sempre. Uma vez ou outra vai ter que fazer aquela de cumprir o papel corporativo e ir almoçar com a galera. No caminho, reze três pais nossos para escolherem um self-service. Se isso não acontecer, o saco de menitras terá que entrar em ação novamente. Em 99% das vezes, as pessoas pedem, em um restaurante à la carte, um grelhado e uma salada e acham que estão fazendo o melhor negócio nutricional. O cardápio do maldito restaurante sempre tem as sessões "carnes", "aves", "peixes" e você será um ET se chegar para o garçon e falar "Escuta, tem como vc me trazer uma montanha de arroz e feijão, uma salada enorme e um pedacinho de frango bem pequeno?".

Se você disser que está em dieta restrita, alguma mulher vai falar para você escolher o maldito "prato light", que em 100% das vezes é o tal grelhado e salada, sendo a tal salada, três folhas de alface. Não haverá tempo hábil, nem saco para explicar que você precisa comer carbidratos e que aquele prato light era justamente o que estava a deixando gorda e sem energia para subir uma escada, etc, etc, etc, então, SACO DE MENTIRAS JÁ!

Peça uma salada completa. Se olharem para você estranhamente, lembre-se, pessoas de escritório querem ouvir desgraça. A mentira perfeita portanto será: "Ontem comi algo que fez mal, estou com o estômago ruim". Se vier aquela cestinha de pão, se apodere dela, coma todos (rsrsrrs). Coma sua salada. Na hora de ir embora, quando todos estiverem voltando para o escritório com seus buchos cheios de gordura saturada, use o saco de mentiras novamente. Solte um "galera, vai indo aí que vou jogar na mega sena", obviamente, se tiver uma lotérica próximo (rsrsrsrrs). Ou então, "preciso passar no banco". Passe na padoca e complete sua refeição com a parte proteica de sua dieta. Isso nos leva à próxima situação.

Situação: precisamos comer proteína e estamos em um lugar bizarro sem acesso ao carro com guloseimas

Olhe para a padoca. O cardápio tem os famosos sanduíches X-gordura e X-artéria entupida. Você precisa comer alguma proteína sem gordura saturada sem que o garçon ou o atendente ache que você é homossexual. No caso das mulheres, essas coisas ficam mais fácil, mas para homem, isto é complicado.

Pergunte se eles tem leite desnatado, mas antes que o pensamento do cidadão vá às alturas, reitre mais uma mentira do saco: "É que eu sou alérgico". O cara passa a ter dó de você. Se ele acenar que tem o leite desnatado mas você não sentiu firmeza, acha que ele está te enganando e vai pegar aquele leite integral gordalhaço, outra mentira do saco será necessária: "Meu amigo, se eu tomar leite integral, me pipoca o corpo inteiro e em cinco minutos vocês vão ter que me levar para o hospital". Naquele momento, e somente naquele momento, ele realmente vai verificar se o leite é desnatado. Acredite, se você não fizer isso, ele colocará o integral.

Situação: reunião com cliente/escritório por volta das 15hs

Em sua imensa maioria, as pessoas tomam um cafezinho meia boca quando acordam, comem o tal prato light no almoço e fazem jejum na janta. Nós, que praticamos esporte, precisamos de comida. Sendo assim, se almoçamos às 12hs, as 15hs a fome é exatamente a mesma das 11hs (rsrsrsrrs). Mas, você entrará na reunião, não tem jeito. 

VÁ DE PALETÓ. Mesmo que o calor esteja de 40 graus. Pegue aqueles bolsos internos no paletó e encha de comida (rsrsrsrrs). Banana, sanduíche, barras de cereais. Vocês não podem imaginar como cabe comida naqueles bolsos (rsrsrsrs). As 15:30, abra o saco de mentiras "Me dêem licença que eu vou ao banheiro". Sente-se na privada e coma rapidinho. Já cheguei a comer um sanduíche de queijo cottage com peito de peru, duas castanhas e duas bananas em menos de dois minutos sentado na privada (rsrsrsrrsrs). Só não se esqueça de retornar à sala sem mastigar e sem pedaços de banana no dente (rsrsrsr). 

Se você tem nojinho de comer no banheiro, bom, melhor achar outro cafofo. No escritório, é fácil, mas no cliente, principalmente aquele que você nunca foi, é bem difícil. Talvez levar um pregador para colocar no nariz enquanto come seja a solução (rsrsrrsrs)


Situação: você foi convidado para algum evento noturno relacionado com jantar

Para não nos tornarmos anti-sociais, de vez em quando precisamos aceitar um convite para jantar com amigos, parentes, etc. Para quem treina e quer dieta saudável, comer à noite nas cidades é infinitamente pior do que comer de dia simplesmente porque não existem restaurantes self-service abertos a essa hora. Se você, leitor, conhece algum, em Atibaia ou São Paulo, que não cobre mais de 40 cruzeiros para comer, por favor, comente este post com o endereço (rsrsrrsrs). Sendo assim, teremos uma sessão de tortura à frente. Se alguém que está no grupo sugerir uma pizzaria, pronto, o inferno na terra está feito para quem faz dieta restrita. Em um restaurante à la carte convencional, é mais fácil dar uma contornada. Podemos nos encher de pão, podemos dividir um peixe com a namorada que não tenha molhos gordurosos, podemos pedir guarnições de arroz ou feijão e rezar para não terem sido feitos com bacon ou linguiça. 

Deveremos, obviamente, ter muita paciência com o garçon e explicar cinco vezes como queremos a comida. Os restaurantes estão acostumados com o padrão. Pediu algo "sem aquilo", "sem isso", vai ser complicado. A probabilidade de vir errado é de 90%. Nunca peça nada com nomes complicados, daquelas coisas que você lê no cardápio e imagina um molho saudável, mas na hora que vem, é um molho de cheddar com toucinho (rsrsrsrrs). Atenha-se ao simples: filé de frango grelhado, arroz, salada fria (até legumes normalmente vem na mantega). Se for restaurante sofisticado, é muito pior. Até a salada vem com molho engordativo. Se não quiser se estressar e utilizar o saco de mentiras muitas vezes essa noite, atenha-se ao básico.

Se conhecer alguém no grupo que faz uma dieta bacana também, compartilhe um prato com ele.

Em uma pizzaria, a casa caiu (rsrsrrss). Uma vez eu fui em uma que não tinha nada a não ser pizza...NADA! Nem salada. Em uma mesa com mais de vinte pessoas, cheguei para o garçon e falei "meu amigo, vocês tem pizza de rúcula?" Ele afirmou que sim e eu falei "pois é, pega um monte de rúcula, coloca em um prato e me traga". Eu era jovem, uns 22 anos, e fui aloprado por mais uns 3 anos seguidos por aquilo. Aliás, foi desse dia em diante que decidi criar a teoria do "Saco de Mentiras" (rsrsrs)

Em pizzaria, você precisa usar a mesma tática do "sou alérgico". TUDO tem queijo. E não é um pouquinho, mas uma quantidade de queijo que dá para um atleta comer em um mês. Tente chegar para o garçon e pedir uma pizza de rúcula, abobrinha, ou qualquer coisa verde e mande tirar o queijo. Ele soltará aquela pergunta, quase como te zombando "mas pizza sem queijo?" e você completa com o saco de mentiras "eu sou alérgico, me pipoca tudo vou parar no hospital..escreve direitinho pro pizzaiolo não errar" (rsrsrsrrs). A zombação vira dó e você está perdoado (rsrsrsrrs). 
A probabilidade da pizza vir com queijo é de 98% (rsrsrsrs), portanto, insista na questão do alérgico para o garçon. Não deixe ele achar que é uma alergiazinha que vc vai ter uma coceirinha na bunda. Faça-o acreditar que você terá um ataque epilético ali no restaurante (rrsrrsrs). Ele realmente se preocupará mais e insistirá com o pizzaiolo.

Chegue em casa depois da pizza e coma sua porção proteica. Um iogurte, leite desnatado, e por aí a fora.


Situação: você foi convidado para comer na casa de alguém que não sabe dos seus hábitos alimentares

Em uma situação como essa, não pode "chegar comido", afinal, será uma desfeita. O seu saco de mentiras terá que ser mais ávido do que nunca. 

A primeira coisa é saber que você pode passar horas na tal casa. Portanto, a mochila térmica com comida no carro é imprescindível. Ao entrar na casa, já vá bolando formas e mentiras para poder ter que ir até o carro. É uma tática de guerra (rsrsrsrrs). Você não pode entrar na casa alheia com uma sacola térmica e dizer "onde deixo minha comida porque eu não vou comer nada" (rsrsrrsrs).

Ao se sentar à mesa, avalie a situação. Se for massa sem recheios, você está salvo! Macarrão, nhoque, que felicidade! Se tiver um molho ao sugo, melhor ainda. Se for a bolonhesa, pegue um pouquinho só....agora, se o molho for branco ou quatro queijos, o saco de mentiras precisa se manifestar (rsrsrsr).

Se você disser que é atleta, está roubado. O tiozão vai tentar te convencer que saco vazio não para em pé, porque ele era um mega atleta "na época dele" (provavelmente não conseguia nem subir escadas), e os argumentos serão muitos. A lenda do famoso vovozinho que comia de tudo, toucinho defumado, leitão a pururuca e dava piruetas, fazia 200 polichinelos e tal irá aparecer e você vai ter que fazer cara de abismado (rsrsrsrs). 

Talvez seu repertório dentro do saco de mentiras não seja tão vasto (rsrsrsr). A desculpa do "alérgico" é excelente porque ela não dá margem à refutação. Serve em dezenas de situações. É o que eu chamo de mentira "coringa" (rsrsrrs). Ela se encaixa perfeitamente aqui. No entanto, você pode soltar umas "tenho gastrite e não posso comer queijo", ou "o médico me proibiu porque eu passo mal", enfim, de forma geral, as pessoas preferem ouvir desgraça do que ouvir "tento ter uma alimentação saudável devido aos esportes".

De vez em quando, você se enjoa de algumas mentiras e resolve falar a verdade. Mas, o arrependimento vem à cavalo (rsrsrsrs) pois você terá que mentir da mesma forma. Se disser que tem uma alimentação restrita, acharão que você é homossexual (como se isso tivesse algo a ver). Se você disser que tem uma alimentação restrita DEVIDO AOS ESPORTES, a coisa ameniza um pouco. No entanto, com esse argumento, as pessoas pensam que estão diante do Michael Phelps ou do Marilson. Imaginam que você vai para a olimpíadas de 2016, enfim (rsrsrrs). Se passar pela cabeça delas que você é um amador dedicado e que é um estilo de vida que optou, você volta na mesma hora para o status de homossexual (rsrsrsrrs). Melhor, portanto, mentir antes.

Se a comida for um arroz, feijão e algo frito, coma o arroz e feijão e fale da gastrite à respeito do "algo frito". Se for um prato único, tipo uma lazanha, um risoto, meu amigo, você está lascado. Nessa hora, tudo vai depender de quão xiita e de quais provas e competições tem pela frente. Se for apenas um adepto da boa nutrição, de vez em quando, um risoto não vai ter crise. Nem mesmo para um atleta longe de competição. Mas, se estiver naquela época que não pode comer nada fora do estabelecido, terá que avaliar a situação: ou tire uma mentira do saco de desculpas, ou conte a verdade. Ambas terão consequêcias e terá que avaliar na hora. Mas, qualquer coisa que aconteça, será muito melhor do que comer aquilo e prejudicar seus treinamentos e, em última instância, sua prova.

Tenho mais mentiras no saco de desculpas, mas estou com sono....depois eu escrevo mais algumas em um novo post (rsrsrsrs)

Ulisses

7 comentários:

  1. não sou tão xiita, mas isso passa bem perto da verdade, equem quer se alimentar bem é tratado como um alien. Já compartilhei o link.

    ResponderExcluir
  2. Cara, vou voltar a ter vida social.... já não aguentava falar que ia treinar, ou que estava com sinusite, etc, etc.....rsrsrsr!

    ResponderExcluir
  3. post fodástico !!! Só uma advertência: cuidado com levar bananas no bolso do paletó, casaco, mochila etc ... normalmente após um tempo fica um cheiro forte e ai a galera começa a comentar: "tão sentindo um cheirode banana?!?!" e aí vai ter q alopra alguma mentira ... hahahaha
    abraço
    Victor cortez

    ResponderExcluir
  4. Cara, quase CAGUEI de rir. Muito bom, meu caro! Aproveito para sugerir uma discussão em torno dos mitos sobre gorduras, carboidratos/açúcares, proteínas, fibras, quantidades, frequências e horários de (não)ingestão... mitos esses que pipocam por aí a torto e a direita, se contradizendo e desinformando o pobre coitado do leigo que muitas vezes ao tentar ser saudável e atlético, faz cagada atrás de cagada e enquanto crê que está DETONANDO, está SE DETONANDO, e quando percebe, não entende, troca de treinador que troca todo o esquema e inverte o SISTEMA DE CAGADAS fazendo com que o aproveitamento seja tão desperdiçado quanto, etc, etc, enfim, quantas histórias vc já não deve ter ouvido...

    Abs,

    George

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala George...bom que gostou rsrsrs... O grande problema de falar sobre esses assuntos é que do mesmo jeito que eu acho que exite uma infinidade de profissionais de educação física e nutricionistas de péssima qualidade por aí, também sei que existe uma nata de profissionais muito qualificados, dos quais aprendo muito, inclusive. Qualquer coisa que eu escrever aqui provavelmente á mais valioso do que o que um "zé pipoca" fala, mas pode ser algo bem superficial para um cara qualificado. O blog não é uma tese de doutorado, mas minhas experiências como atleta, como leitor e com o contato com esses tais profissionais qualificados. Vou acabar escrevendo bastante coisa sobre nutrição, mas vamos aos poucos...Não é mole escrever rsrsrrsrs

      Excluir
  5. Tô contigo e não abro! Longe de mim desmerecer a classe! Longe de mim sugerir uma "tese" rs! Vc escreve bem pra caralho, de maneira balanceada entre o aprofundamento técnico e a acessibilidade ao assunto, com um tom jocoso mas ao mesmo tempo sério, na medida!
    Tb comecei um blog há uns 3 anos aqui, em inglês, contei algumas histórias, mas daí a coisa ficou corrida e há mais de ano não escrevo por lá... Not easy! Keep up the good work, my friend!

    Abs!

    ResponderExcluir
  6. Muito real...hahaha...depois que passei a seguir a alimentação vegana me chamam de vegay...e nem adianta discutir, ninguém quer saber quantos KM eu corri ou os tempos ou os treinos que faço, o que importa é que sou o estranho frescurento do local.
    Ótimo blog!!

    ResponderExcluir