domingo, 18 de março de 2012

Ir mais rápido para ir mais longe?



Olá a todos,

Em todo esporte, existe algum tipo de métrica para saber quem ganhou e quem perdeu, quem é melhor e quem é pior. No caso de muitos esportes, principalmente os coletivos, esta métrica são os pontos, ou gols. Em alguns outros esportes individuais também temos pontos, como no caso da ginástica olímpica, patinação, onde o número de pontos é proporcional a determinada perfeição.

No caso de esportes de endurance, esta métrica é o tempo. Quem é mais rápido é melhor do que quem é mais lento. Acabou. Do mesmo jeito que no futebol, não adianta um time jogar com uma plástica maravilhosa, o famoso futebol arte, e perder por dois gols de diferença. No esporte de endurance não adianta o atleta ter uma perfeição na corrida, ou na bike, mas realizar determinado percurso em um tempo alto.

Portanto, o que manda é o quão rápido você pode ir. Até aí, descobri a pólvora rsrsrs. O fato, no entanto, é que parece que existe um certo hábito de treinadores e atletas de se vincular a velocidade em distâncias menores com distâncias maiores.

Quem aqui nunca ouviu algo do tipo "eu só vou fazer um Ironman na hora que eu fizer um Triathlon Olímpico para baixo de XX tempo". Ou mesmo relacionando o short. "Na hora que eu fizer o short triathlon para baixo de uma hora, eu vou para um meio ironman".

Já ouvi coisas como: "Para fazermos melhores tempos na maratona, precisamos fazer uma meia maratona melhor". Até aí, faz algum sentido. Aí, a mesma pessoa fala "Para melhorar a meia, preciso melhorar meus 10km, portanto preciso melhorar meus tiros de 1000m". Hummmm. Continnuando..."Mas para melhorar meus tiros de 1000m, preciso primeiro melhorar meus tiros de 400m e 200m"....hummmmm. Vamos ver se eu entendi. Por esta lógica, tenho uma pirâmide de eficiência onde para melhorar uma maratona, preciso melhorar meus tiros de 200m???

Bem, confesso que durante um tempo eu pensava assim também, mas hoje, minha experiência diz que há algo errado nessa análise. Preciso melhorar meu tempo nos 5km para correr uma maratona? Preciso melhorar meu tempo em Olímpico para melhorar meu Ironman? Numa boa, que me desculpem os adeptos dessas idéias, mas isso, pelo menos para mim, não procede. Se eu fosse partir para provas longas depois que fizesse um short triathlon para baixo de 1 hora, por exemplo, estaria tentando até hoje e teria perdido uma grande oportunidade de ter resultados mais bacanas nas provas longas. Eficiências fisiológicas e biomecânicas completamente diferentes. Vou tentar abordar mais esse tema nos posts de "Qualidade x quantidade" que ando postando, mas o que posso dizer é que sou mais lento que muitos dos atletas que eu chego na frente nas provas. Lento no sentido da realização dos treinos intervalados, tiros e séries todas, e nas distâncias mais curtas, mas naquela prova mais longa, eu fui mais rápido. 

Qual o objetivo desse post, então? Não quero fazer apologia a esta nova tendência de se realizar provas longas e duras sem ao menos adquirir um lastro esportivo antes. Acho isso um pouco de irresposabilidade, apesar de eu mesmo ter seguido um pouco desse tendência. Não tinha experiência com triathlon quando parti para o Ironman, mas eu já tinha lá meu lastro esportivo, ao menos. Agora, se polarizar no oposto, de tentar antes obter resultados brilhantes em provas curtas para partir para as longas, também não acho legal (que me perdõem os triatletas da velha guarda que fizeram centenas de short triathlons antes de ir para meio Ironmans e Ironmans rsrsrs). Pode estar perdendo a oportunidade de se descobrir como atleta de endurance. Sem contar que as variáveis de recuperação, psicológicas e, principalmente, nutricionais para uma prova longa são muito mais variadas e complexas; um aprendizado que pode representar um salto para um atleta menos experiente entre os demais. 

Para você, triatleta iniciante, adquira experiências nas provas curtas, melhore sim os seus tempos e adquira lastro esportivo. Melhore seu condicionamento aeróbico, muscular e biomecânico, mas antes de qualquer coisa, se conheça e se escute. Se julgar que já tem o alicerce para partir para outros desafios, vá. Não vá para morrer nas provas e chegar todo derrubado, mas vá consciente de que aquilo pode representar um salto importante. Tenha profissionais competentes ao seu lado como nutricionistas, fisioterapeutas e treinadores; aprenda sobre treinamento e nutrição, se conheça e abrace a causa como aprendizado. Pode descobrir o que eu descobri: tenho condições de fazer ótimos tempos em provas longas, mas jamais, nem em três vidas, vou conseguir as primeiras posições nas provas curtas.

Ulisses 


2 comentários:

  1. Legal a análise.
    Hj, o que me importa na hora de escolher um tamanho de prova é o tempo que tenho para treina-la.
    Não quero fazer de um hobby, um grande problema na vida.
    VALEU !!!

    ResponderExcluir
  2. É Xampa, você está certo. Tanto treinar para provas curtas como treinar para provas longas, se forem para ser bem feitas, demandam tempo, no entanto, as provas longas realmente consomem mais tempo. Não tem jeito, vai precisar ficar mais horas fazendo os determinados esportes. E isso realmente impacta a vida bastante. E não estamos falando apenas do tempo de realização do esporte em si, mas do tempo para se recuperar, dos momentos que precisa abrir mão de situações para se alimentar direito, etc. Se realmente não enxerga essa brecha na sua vida, principalmente como pai novo, é melhor aguardar o momento certo mesmo.
    Abs

    ResponderExcluir