sábado, 26 de maio de 2012

Sábado. Véspera de Ironman



11 horas de viagem na quinta-feira, sendo metade disso com chuva.
Cheguei em Canasvieiras e ainda dei um trotezinho na chuva, exatamente pelo circuito da prova...muitas lembranças de 2009 e 2010 vieram na cabeça, um nervosismo me abateu momentaneamente, mas logo se transformou em felicidade de estar ali.

Depois de muitas horas de sono, perdi propositalmente o café da manhã do hotel. Não como muito do que tem ali e sabia que o sono seria fundamental, já que na noite que antecede a prova nunca durmo. Uma chuva chatíssima caia e era quase inacreditável olhar a previsão de tempo dizendo que ia abrir sol.

Fomos nadar na chuva eu, Marquinhos Faria e Antonella. Em Canasvieiras mesmo. Não gosto de treinar na sexta que antecede a prova, mas seria uma oportunidade boa de testar o wetsuit em mar. Fiquei bem feliz principalmente por estar frio e eu não ter sentido, como costumava sentir nos anos anteriores com minha wetsuit cavada.

Fomos almoçar eu, eles dois, o Seu Faria, pai do Marquinhos, e um casal de amigo deles, no Ford Ka rsrsrsr. Este estava a mais de seis meses sem lavar rsrsr.
Restaurante é aquela coisa. Macarrão com manteiga, arroz com óleo, mas tinha uma cenoura ali que salvava. Depois tinha um doce de sagu. Me virei como deu. Salve o Santa Pimenta! Rs.

Naquela chuva, vamos pegar o Kit. Já estava enxarcado de tanto andar para lá e para cá. Podia acontecer tudo, menos ficar doente. Minha imunidade estava ótima, mas nunca se sabe. Frio e chuva ninguém merece.

Ao pegar o kit, tudo certo, mas só tinha camiseta "G". Ponto negativo para a oranização da prova. Com este nível e este preço, faltar camiseta "P" e "M", não dá. Economia de custos tem limites.

Fui para a feirinha. Encontro lá meus amigos no stand da 2XU. Encontro o Edu Mazza, que fazia tempos que não via, Julio Dotti e outros, mas eu não queria muito ficar ali. Pão duro do jeito que eu sou, não ia comprar mais nada rsrsr. Queria chegar logo no encontro do Ironbrothers que estava marcado para as 16hs no Spazzio.

Depois de pegar mais chuva e ficar mais enxarcado, chegamos ao local. Eu, Marquinhos e Antonella os primeiros a chegar. Depois vieram a Aline Carvalho com família, Fernando Cesário e Júlio Dotti. O restante da galera que combinou deu para trás, mas era previsível com aquela chuva. Depois de tempos vi que meu amigo Carlos Pocinho havia me ligado. O sinal do celular estava horrível, para não dizer que não existia. Queria vê-lo, mas não deu. As coisas não acontecem como prevemos. Conversamos muito, foi bacana e zarpamos. Passamos no mercado, comprei algumas guloseimas,já que não estava mais disposto a sair do quarto. Queria me esquentar, arrumar a logística da bike para o "check-in" no dia seguinte e ficar recolhido. Foi o que fiz. Nem saí para jantar e fiquei tranquilo.

Este ano, diferentemente dos anteriores, adotei mais a estartégia "keep it simple". Bike com apenas duas caramanholas de água. O restante eu pegaria na prova. Sem pneu reserva nem nada, apenas dois "pit stop" em uma bolsinha embaixo do selim. Era isso. Fiz alguns cálculos e minha bike sairia da T1 pelo menos 3kg a menos do que em 2010. Levando em conta que eu estou com quase 4kg a menos, estamos falando de "uma outra bike" a menos para arrastar durante 180km.

Não ia precisar de "special needs" na bike e na corrida só um tênis reserva com meia. Posso me arrepender depois dessa simplicidade, mas estou disposto a pagar o preço. Menos itens para lembrar, menos estresse, menos cortisol.

A chuva não parava...já começava a imaginar como seria fazer a prova naquelas condições...ia ser osso. A previsão estaria errada?

Acordo no sábado com o SOL na cara. Não acreditei. Fiquei muito feliz e os planos de "prova suicida" saíram da minha cabeça. Fui tomar o café da manhã do hotel, mas levei 90% do que eu ia comer rsrsrsrrrs. Encontrei os pais da Antonella e o Seu Faria. Logo depois, o Marquinhos e a Antonella. Fomos andar na praia. Eu e o Marquinhos conversando sobre estartégias de prova, rotina de treinos. Vou falar. Eu aprendo muito com ele e ele comigo, com certeza. Diferentemente da quantidade de chucrice que eu escuto no mundo esportivo a toda hora, faço questão de conversar com esse cara porque sei que dali sai coisa boa. Fora as risadas garantidas rsrsr.

Hora dos últimos ajustes da bike e de escrever para o blog no teclado do celular rs. Minha família vai chegar no aeroporto bem na hora que eu estiver no bike "check-in". Até a minha prima e o meu tio, que eu jamais imaginei que viriam um dia... :-) Estou ansioso por vê-los, apesar de achar que não vou conseguir dar muita atenção antes da prova. Saudades da minha namorada que teve, nesta situação, os chefes mais despreparados e vaidosos, para não dizer outra coisa. A ansiedade começa a falar mais alto agora. Ela aqui agora seria ótimo para me ajudar a dar uma desencanada... Mas, vamos esperar.

Quis fazer esse relato para lê-lo depois da prova. Indo bem ou indo mal, saber como estávamos algumas horas antes do evento é essencial para aprendermos conosco mesmo. Fazer uma mentalização. Lembrar dos treinos duros e solitários. Fazer novos prognósticos. Tem muita coisa em jogo em uma prova como esta. E´ impossível banalizá-la.

Agora, é cabeça no lugar, não esquecer de nada e baixar a ansiedade para estar 100% naquela largada.

Espero voltar a escrever com boas notícias e um sorriso de orelha a orelha.

Vamo que vamo!

3 comentários:

  1. Boa sorte?
    Mas, sem pneu reserva? Caracoles.

    ResponderExcluir
  2. Oi Ulisses,

    Desejo a você uma excelente prova! Vai dar tudo certo!

    Um grande abraço,
    Dani

    ResponderExcluir
  3. Ulisses, ótima prova amanhã!

    Abraço Pablo Bravo

    ResponderExcluir