segunda-feira, 4 de junho de 2012

Seu Manoel



Todo mundo, em qualquer área, tem pessoas nas quais se espelham.

No esporte, eu particularmente não acredito que alguém não tenha algum outro atleta como referência. Quer seja em relação à atitude, quer seja em relação a desempenho esportivo. Eu, obviamente, tive e tenho os meus. Falo "tive" aqui porque as nossas referências, os nossos ídolos, os atletas nos quais nos espelhamos, mudam muito o tempo todo. Digo isso por mim, pelo menos.

Quando tomamos ultra-atletas de elite como referência, possivelmente nós, amadores do esporte, nunca poderemos nos espelhar, quando o quesito é desempenho. Fazem coisas que temos que nascer novamente para conseguir. No entanto, muitos deles, conseguimos nos espelhar no que se refere à atitude. A forma como lidam com o público, com seus adversários, com o esporte, com seus patrocinadores e família. Quando queremos nos espelhar em alguém no quesito desempenho, no entanto, temos sempre que sermos realistas, entendermos nossas virtudes e limitações e realmente, de forma inteligente, pensar: "Este cara é fera. Ainda vou treinar e chegar nesse nível".


Ao longo de minha vida triatlética, muitos foram meus ídolos próximos. Alguns eu tenho como referência até hoje, pois ainda não consegui atingir o mesmo nível, outros eu estou com um nível similar e outros, muitos outros, na verdade, ultrapassei como atleta. As causas para isso foram muitas, obviamente. Desde méritos meus até demérito deles. Uns porque pararam o esporte, ou simplesmente resolveram priorizar outras coisas em suas vidas, outros porque resolveram parar no tempo, insistir nos mesmos erros, deixar de aprender e evoluir no conhecimento esportivo e nutricional. Estes últimos, infelizmente, são normalmente aqueles que falam que estou tomando anabolizante, ou que virei bitolado do esporte e só faço isso da minha vida agora, enfim, não aceitam a própria incompetência e ficam se auto justificando, infelizmente. Estão perdendo uma grande oportunidade de aprenderem com o "novato" aqui algo que não aprenderam nos últimos quinze anos.

Temos que andar para frente, não é mesmo? Continuo com meus espelhos, meus ídolos, e provavelmente, me tornei espelho para outros atletas, da mesma forma, fato que realmente me deixa bastante feliz.

Com esta minha última decepção no Ironman Brasil, pude perceber o quanto eu influenciava pessoas. Não só atletas, mas pessoas de vários círculos de amizade que eu tenho. Confesso que fiquei muito feliz e, como não poderia deixar de ser, percebi que é realmente isso que me impulsiona. Pessoas que largaram o sedentarismo por minha influência, pessoas que entraram para o triathlon, ou outros esportes, e hoje o tem como estilo de vida principal, pessoas que mudaram seus hábitos alimentares e a forma de encara a saúde e o resto de suas vidas. Eu realmente me sinto muito gratificado de ter trazido esta alegria para tanta gente. Nem eu, na verdade, imaginava. Precisei sofrer este "tranco" no Ironman para perceber e cair na real. Estas situações extremas nos fazem, de certa forma, sair do casulo e abrir os olhos para outras coisas que não percebemos, analisarmos as situações todas por outros prismas.

Bem, chegou a hora de eu explicar porque o título deste post é "Seu Manoel" neste contexto.

Hoje, saí para treinar. Bem mais recuperado psicologicamente, um dia lindo aqui em Atibaia, uma vontade de treinar louca que eu não tinha já há algum tempo. Ainda meio sem planejamento e sem objetivos, resolvi ver como estava a minha velocidade, já que os treinos do Ironman nos deixam muito resistentes, mas um pouco lentos. Resolvi fazer um treino de tiro de 400m. Aqueci, fiz os tiros, quase morri, mas com uns tempos que fiquei até feliz. Achei que estaria pior. 

Quando vou partir para o desaquecimento, resolvo fazer uns educativos rodando em outro quarteirão. Educativo é sempre um problema de se fazer porque as pessoas olham aquele ser de boné, óculos escuros, camiseta e bermuda coladinha, saltitando, pulando, trocando pés, etc. e pensam que eu sou uma mistura de ET, com bêbado e homossexual. Como sempre, nós atletas, precisamos  nos lembrar que estamos em um país onde a cultura do esporte é cortar o cabelo moicano igual ao Neymar, tomar cachaça e bater bola às quintas-feiras.  Temos que seguir em frente.

De repente, escuto de dentro de uma casa, um "Opa!". Pensei "Pqp, lá vem algum infeliz me encher o saco". Foi quando eu percebi entre as cercas vivas da casa a pessoa correndo e vindo até o portão ao meu encontro. Eu, fazendo o meu educativo. A pessoa para ao portão, eu percebo que é um pedreiro da casa, já idoso, que dirigiu a palavra a mim: "Bacana!". Frações de segundo de espanto me bateram a cabeça e pensei "Bacana?!?!?! O cara não me chamou de boiola?!?!? Estarei eu sonhando?!?!". Parei o educativo e agradeci. Segue o diálogo que tivemos nos próximos cinco minutos:

Senhor: - É atleta?
Eu: - Sou sim. Triatleta na verdade.
Senhor: - Hum (com jeito bem simples), é bem diferente do meu então. Eu sou corredor, maratonista.
Eu: - Nossa! Que bacana! (já esquecendo um pouco meu resto de educativo e chegando mais próximo)
Senhor: - É, sou apaixonado pela corrida. Corro há muitos anos.
Eu: - Que legal! Quantos anos o senhor tem?
Senhor: 75 anos
Eu: Pudera eu estar com esta idade treinando para maratonas. Tenho 36 anos, menos da metade da idade do senhor. Mas está treinando forte agora? (perguntei, mas confesso que com um ar de brincadeira. Achei que ele estava blefando um pouco).
Senhor: Não muito, estou em "base".
Eu: E o senhor roda quanto em "base"?
Senhor: Depende muito do meu ano, se estou trabalhando muito, se estou trabalhando menos. Agora estou na faixa de 120 km por semana, mas quando estou mais sossegado de trabalho chego a bater 180/200 km por semana.

Minuto de silêncio

Eu: O senhor chega a rodar 200 km por semana com 75 anos?
Senhor: Sim... ontem mesmo rodei 36km. 18k de manhã e 18k à noite.

:-O

Eu: Minha nossa senhora. Tudo bem que eu sou triatleta, tenho outros dois esportes, mas nunca consegui chegar a 100 km semanais!!!!
Senhor: É costume. Deixo os treinos mais longos no final de semana e os mais fortes para a semana. Você faz fartlek?

(Tudo isso com um ar bem simples, com um português bem arrastado).

Eu: Sim, às vezes faço. Hoje foi meu dia de fazer uns tiros de 400m.
Senhor: Para quanto estava fazendo os tiros?
Eu: Na casa de 1m18s mais ou menos. Achei até que estava mais lento que faz tempo que não treino velocidade assim, mas até que fiquei feliz.
Senhor: Nossa. Está bom. Hoje eu não consigo mais assim rápido, prefiro fazer treinos de velocidade em Fartlek, com fortes e fracos. Estes dias eu fiz uma prova de 10 km para 39 minutos.

Minuto de silêncio

Eu: O senhor está me dizendo que com 75 anos de idade, correu 10 km em 39 minutos?!?!?!?!
Senhor: Sim. Eu corro bem na casa dos 4min/km.
Eu: Meu deus do céu!!! É verdade isso mesmo?
Senhor: Sim. Este ano fiz uma meia maratona para 1h24 cravados.

Minuto de silêncio

Eu: Peraí, o senhor está entre um dos melhores do país na categoria então, não é possível!!! Como é o nome do senhor?
Senhor: Seu Manoel.

Com pouco menos de cinco minutos de prosa, aquele homem passou de um possível enchedor de saco que iria me aporrinhar para o meu mais "novo" ídolo.

Eu: Seu Manoel, o senhor está sempre nos pódios, né?
Senhor: Sim, sempre.
Eu: Seu Manoel, eu vou te falar que eu coloco nos dedos de uma mão quantas pessoas que conheço que conseguem correr uma meia maratona para 1h24. E todas elas tem idades parecidas com a minha, muito longe dos 75 anos. Estou realmente espantado. 
Senhor: Obrigado (cheio de orgulho)
Eu: Seu Manoel, o senhor acaba de ganhar mais um fã. O senhor é o meu mais novo ídolo. 

Dei a mão a ele, me apresentei e fui embora. Até esqueci-me de completar meus educativos. Estava a uns 500m do carro e fui andando pensando em quantas pessoas eu conheço, com 75 anos ou menos, que estão com dores, colesterol alto, obesidade, hipertensão, triglicérides e muitos outros problemas. Todas, na verdade. E aquele homem ali tinha acabado de fazer uma meia maratona para 1h24 minutos! Para quem não está muito familiarizado com números, posso dizer que eu faço 1h24. Até menos. Mas eu garanto, tenho que fazer FORÇA! Daquelas que não dá para conversar com um nego do lado não. FORÇA! 

Vocês acham que este senhor toma R4 Endurox? BCAA? Alimentação à base de grãos selecionados de quinoa, amaranto? Ele deve ter uma alimentação excelente, mas sem dúvidas, à base da maior das simplicidades: Arroz, feijão, legumes, frutas, verduras e carnes magras. Somos todos uns BOSTAS! rsrsrs.

Ironmans e outros campeonatos à parte que me desculpem, mas descobri o meu novo objetivo e o meu mais novo espelho! Seu Manoel! Eu quero fazer uma meia maratona para 1h24 aos 75 anos! Quantos caras no planeta terra podem dizer que fizeram isso? No Quênia e na Etiópia talvez tenham alguns, mas em outros lugares? 

Para bons entendedores, não se precisa de muito para entender. Para se atingir este objetivo, não adianta apenas corrermos, mas ter toda uma vida reta, de amor ao esporte e à saúde. Isto, decididamente, não tem nada que ver com uma prova, mas com todas as minhas escolhas nos próximos 39 anos. 

Espero lá na frente, assim, ter uma legião de pessoas que eu tenha influenciado positivamente de alguma forma, assim como o Seu Manoel deve ter. Isto, realmente, é maior do que nós mesmos. Tudo terá valido à pena.



7 comentários:

  1. Como gosto dessas histórias, sensacional.

    Abraço

    ResponderExcluir
  2. Vou falar uma coisa... mais interessante que MUUUUIITO relato pós IRON.....
    VIVA "SEO MANOEL"...

    ResponderExcluir
  3. Impressionante..... na simplicidade encontramos as estórias mais bonitas e estimulantes! Viva Seu Manuel....

    ResponderExcluir
  4. Concordo com o Hugo Leonardo, foi uma luz em meio à escuridão e mesmisse pós-ironman.
    Paixão, inspiração, dedicação... É disso que eu tô falando!!

    Abraço mano véio!

    ResponderExcluir
  5. Que bom que voce conheceu o Seo Manuel....Acho que conheço ele porque como corria bastante na rua antes, sempre encotrava com ele. Ainda não vou colcoar aqui porque preciso confirmar..mas tem uns dados interessantes sobre ele que por conta da sublime humildade, que nós não conseguimos ter, nunca é mencionada por ele.

    ResponderExcluir
  6. Que legal a conversa que vc teve, dou os parabéns para o Sr, Manoel e para você tambem que teve a humildade de colocar no seu blog...acho muito legal quando encontramos pessoas com mais idade e que começam a falar de corrida, eu corro a pouco mais de quatro anos e não sei se cheguei a ver esse Senhor em alguma prova mas posso ter até cruzado com ele, lógico que ele me passou porque faço uma meia em 1:31 no máximo, rsrs, são histórias como essas de pessoas simples que nos motivam a continuar treinando e vivendo esse universo lindo que é o nosso esporte!!!!

    ResponderExcluir
  7. Linda história, to feliz por vc e pelo seu Manoel. Te amo! Beijos

    ResponderExcluir