quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

A certeza de não estar certo sobre os laticínios




Olá,

Este humilde blog é pertencente à um triatleta dedicado, curioso e estudioso, mas está longe de ser uma fonte de publicação científica.

Cada vez mais percebo que as pessoas no geral se agarram em "verdades" trazidas pela ciência, em qualquer área. Antes de mais nada, é sempre bom esclarecer que a ciência não é a verdade, mas um método, uma forma de, através de evidências, adquirirmos conhecimentos que nos serão úteis no cotidiano. 

A ciência está longe de ser a única fonte de conhecimento do ser humano. Diz a boa e velha epistemologia que dentro de um universo de crenças, temos as que possivelmente são verdade. E dentre estas, as que são justificadas, se tornam conhecimento. A ciência é uma parte importante deste quebra-cabeças no sentido de tentar justificar tais crenças.





Isto significa que quando temos acesso a algum estudo científico que tem como objetivo alguma conclusão, aquilo não é a verdade propriamente dita, mas, uma forma de obtermos uma conclusão plausível dadas determinadas variáveis em determinados contextos com determinadas hipóteses.

Trocando em miúdos, TUDO é crença, na verdade. A diferença entre uma crença justificada (cientificamente ou filosoficamente) e uma outra crença qualquer, é que a primeira foi submetida à alguma forma de validação, quer seja através de um método empírico, quer seja através da razão e da lógica. Digamos que uma crença que se torna conhecimento possui uma possibilidade bem razoável de perambular próxima à verdade, mas não necessariamente é.

É claro que existem as teorias e leis científicas que são tidas como verdade por estarem imensamente bem respaudadas em inúmeros estudos, experimentos e evidências. Alguém aqui é capaz de contestar a lei da gravidade? Ou de quastionar o evolucionismo darwiniano? No entanto, acreditem. Nem mesmo tais exemplos são a verdade. Não duvide se em alguns anos outras teorias substituirem estas e outras já consagradas. Isto acontece bastante, inclusive.

Sendo assim, qualquer opinião minha aqui neste blog posso encontrar dezenas de estudos científicos que corroboram com ela e outras dezenas que simplesmente a contradiz. É assim que a ciência (e o conhecimento humano) evolui, na verdade. Estamos aqui para questionar as "verdades" mais inquestionáveis, afinal.

Porque escrevi tudo isso? Simples. Porque o tema principal é: laticínios. 

Paixões, ego, pseudo verdades, crenças injustificadas, exceções, histórias da Carochinha, todo tipo de argumento cultural é exposto quando tocamos em alguns "santos graals" da humanidade como religião, posição política, sistema capitalista, dinheiro, justiça e demais. E acreditem, a nutrição é um deles também, principalmente quando tocamos em algo de origem animal. De forma geral, as pessoas precisam manter suas "verdades" para continuar vivendo em paz.



Se fizerem uma pesquisa na internet, evitarem blogs (como este meu aqui) e se concentrarem em fontes de pesquisas sérias e PRINCIPALMENTE que não estão servindo a nenhum tipo de interesse corporativo (muito difícil, por sinal, em se tratando da forte indústria leiteira), verão que existe um sem fim de publicações que vinculam o consumo de derivados de leite a uma série de males. Mas é claro que existem também, o seu contraponto, isto é, as pesquisas que relatam seus benefícios.

Sendo assim, a qual escutar? Temos que esperar a questão do leite virar um consenso científico para tomarmos nossas conclusões? O Conselho Regional de Nutrição (CRN) lançou um parecer proibindo os nutricionistas de recomendarem aos seus pacientes que retirem o leite e derivados de suas dietas (fonte). A justificativa? Não existe um consenso científico. Bem, pelo que percebi, este consenso não existe aqui no Brasil, mas em muitos outros países isto já é encarado como consenso. No entanto, ficamos na mesma. E mesmo os nutricionistas que tem acesso a muito mais artigos e análises que este triatleta que vos escreve, nada podem fazer.

Neste emaranhado científico eu tenho um bom ditado: "Pelo dedo conhecemos o gigante". Se vc estiver andando na mata e encontrar uma pegada de 75cm, você vai precisar de algum experimento científico para te dizer que aquele bicho ali pode ser grande? Ou é melhor ir para o outro lado logo? rsrsrsrs.

Cada vez mais me transformo em um observador do consumo de leite e derivados. Eu que não sou cientista nem nada, mas faço do meu dia a dia e do meu observar meu eterno laboratório. Destas minhas observações, percebo muito um vínculo direto do consumo de leite com alguns males como problemas de colesterol, alergias e problemas gástricos. Lendo uma série de artigos científicos, muitos outros males estão vinculados à ingestão de laticínios como osteoporose, artrite, esclerose múltipla, acne, doenças cardíacas, asma, câncer de próstata, câncer de mama, obesidade, doença de Parkinson, infertilidade, e a lista não para. No entanto, aqui, neste momento, estou trazendo apenas as conclusões do meu "laboratório" a céu aberto. Do meu livre observar.

Minha mãe estava com problema de colesterol alto e a médica disse que só baixaria com atividade física e com remédios. O remédio a prostrou. A deixou letárgica. Então, cheguei para ela, ciente de que os derivados de leite podem ser fortes agentes de aumento de colesterol, e disse: "Retire todos os laticínios". Minha mãe não fez absolutamente mais nada. Nenhuma outra mudança no seu dia a dia. Nenhuma atividade física a mais, nenhum outro remédio e nenhuma outra alteração dietética. Apenas retirou laticínios. Seu colesterol ficou completamente normal em dois meses. Escuto relato o tempo todo de pessoas com alergias sérias ou com enxaquecas que retiraram os laticínios e a vida simplesmente se transformou. Pessoas que simplesmente me relatam que apenas "estão se sentindo muito melhor" no sentido de disposição acho que toda semana me aparece um. Já virou algo corriqueiro, inclusive.

Será que este tipo de amostragem e percepção não me serve como conhecimento? É claro que para a humanidade assumir como consenso, não. Não tenho esta ousadia. Mas, tudo que venho percebendo me é bastante suficiente para afirmar que laticínios são algo que nos faz mal. E muito mal. Não é um "malzinho", não é uma unha encravada, mas males que te deixam com a qualidade de vida péssima por muitos anos e contribuindo para a proliferação de farmácias em cada esquina.

Portanto, que me desculpem os cientistas de plantão, os que estão esperando um consenso científico ou os que alegam sempre que cada indivíduo é diferente (com uma certa razão em muitos pontos aqui), mas quando me questionam sobre como melhorar a alimentação ou como tentar melhorar males diversos que sentem através da alimentação, eu não penso duas vezes em recomendar: RETIRE TODOS OS LATICÍNIOS. Para um crítico da polarização, esta pode ser uma atitude imprudente, já que assumo como verdade algo que pode não ser. Para eles, eu posso dizer:

- Assumimos como verdade que 20g de carboidratos para cada 30min de exercício são suficientes;
- Assumimos como verdade que a melhor forma de tratar um câncer é através da quimioterapia;
- Assumimos como verdade que um meteoro caiu no golfo do México e exterminou os dinossauros;
- Assumimos como verdade que o sistema monetário é o melhor sistema possível para ser utilizado na criação de bens de consumo;
- Assumimos como verdade que o ser humano é invejoso e egoísta em sua essência, portanto nada podemos fazer para mudar tal realidade;
- Assumimos como verdade que a lua influencia as marés;
- Assumimos como verdade que tomar proteína isolada no pós treino recupera;
- Assumimos como verdade que o aquecimento global está realmente acontecendo;
- Assumimos como verdade que foi Osama Bin Laden que planejou o atentado de 11/09;
e a lista não pára...

No entanto, tudo isso pode NÃO SER VERDADE! Olha que legal rsrsrsrs.

Imprudente? Não acredito. Não sou profissional da área e as pessoas estão apenas me pedindo uma opinião. Mas tenho sérias razões para acreditar que de cada dez pessoas que seguirem o meu "RETIRE TODOS OS LATICÍNIOS", pelo menos umas oito sentirão uma enorme diferença.

Este dado, esta coleta de informações, ainda não tenho. Portanto, se quiserem me ajudar com ela, agradeço.

E não se esqueçam! Laticínios não significa "o copo de leite", mas os queijos, as massas de pães e bolos que vão leite, mateiga, margarina, iogurtes, etc, etc.


Nenhum comentário:

Postar um comentário