quarta-feira, 27 de março de 2013

25.000!!!




Há um ano atrás, alguns triatletas lá do grupo Ironbrothers, mais precisamente o Vagner Bessa, o Wladmir Azevedo e o André Cruz (Xampa) me cutucavam para criar um blog. Diziam que eu tinha algo para escrever e compartilhar. 

Eu estava um tanto relutante na época porque não achava que eu tinha tanta coisa pra escrever assim. Só que eu descobri que eu tinha rsrsrs. Na verdade, muito mais do que uma necessidade de escrever, o que me motivou pela criação do blog foi a necessidade de compartilhar as minhas descobertas, experiências e pesquisas. Estava me sentindo um tanto egoísta de estar evoluindo no conhecimento do esporte e de nutrição e não estar compartilhando.

Nunca tive a intenção de ter algo profissional. O objetivo sempre foi realmente compartilhar. Sendo assim, neste ano que se passou percebi que de forma geral existe uma carência grande por este tipo de informação. Acho que como está todo mundo na correria e sem tempo de pesquisar sobre temas como nutrição, treinamento, equipamentos, etc, acabam recorrendo para pessoas como eu, que de alguma forma faz uma lição de casa e, acima de tudo, coloca em prática aquilo que aprende, acredita e escreve. Perdi as contas de quantas pessoas me pediram algum tipo de ajuda neste sentido e acabei percebendo que o blog era mais do que um "diário de experiências". Eu realmente ajudava pessoas!

Apesar de 25.000 visitas no blog em um ano não serem nada comparado aos twitters dos artistas globais (rsrsrrsrsrs), para um triatleta amador vegano que tenta fazer tudo direitinho, é motivo de orgulho.

Gostaria de agradecer a todos que acompanham o blog, a todos que me agradecem e a todos que me criticam! O que seria do aprendizado se não fossem os críticos, não?

Espero continuar com ele por um bom tempo!

Beijos e Abraços a todos!
Ulisses

terça-feira, 26 de março de 2013

O controle pela comida





Olá,

Acho que não é novidade para ninguém que o tema "alimentação" é mais do que um hobby para mim. Eu realmente passo muitas horas semanais debruçado sobre este tema e, infelizmente, cada vez mais me deparo com informações que vão muito além da simples "boa mesa".

Estou falando de controle, de lobbies corporativos, de jogo de influências. A questão é absurdamente ampla e confesso que vem me atormentando, e não é de hoje.

Almoçando hoje no Santa Pimenta, conversando com um amigo, ele me contava sobre um amigo de seu pai, na faixa etária dos 70 anos, que sempre teve uma alimentação saudável, tinha uma aparência de 20 anos a menos e sempre esbanjou saúde. No entanto, em seu último exame, foi detectado um câncer de próstata. O que ele estava querendo me dizer é que mesmo com todas as restrições alimentares, ainda assim o câncer apareceu. Conversmos sobre as possíveis causas do câncer, além das nutricionais, como estresse e questões emocionais. No final eu conclui dizendo que mesmo eu, que sou um cara pra lá de disciplinado, não estou imune a isto e a razão é muito simples: ESTÁ MUITO DIFÍCIL DE FUGIR!

Para onde eu olho, há controle. Há alguma corporação instrumentalizando seus interesses escusos em cima daquilo que coloco para dentro do meu corpo. Me sinto traído, enganado o tempo todo, e o pior. Observando a população como um todo e me sentindo impotente.

Ainda se fosse apenas nesta questão alimentar, estaria bom.... mas aqui no blog, não vou me aprofundar em temas que não tenham conexão com esporte e nutrição.

Faz tempo que estou querendo desenvolver um post onde tento ao máximo desmascarar muitas destas corporações, produtos e componentes químicos que colocam em nossas comidas, assim como todos os seus interesses e lobbies, mas vai dar um belo de um trabalho e realmente preciso me planejar, tanto para começar, como para estar preparado para ouvir os famosos argumentos, desde os mais cômodos, revoltantes e obscurecidos como "ah, mas vamos fazer o que, né?" até os que, sem a menor base investigativa, rotularão apenas como "teorias da conspiração".

As informações são muitas. Desde estudos científicos às geradas pelos esforços de ativistas e ONGs independentes. Existe muita gente tentando retirar as pessoas da caverna. Pelo menos fora do Brasil. Eu, sou apenas mais uma formiguinha aqui.

Hoje, me deparo com este vídeo do Alex Jones. Ele é um cineasta a apresentador de rádio tido como um conspiracionista pelo público americano. Só que neste vídeo, tudo que ele fala eu realmente já li muito à respeito e tudo procede. Ele não está inventando nada. Como eu disse, as informações sobre o assunto são abundantes. Basta ter vontade de procurar e abrir a cabeça antes de abrir a boca.

Acho que valem os 15 minutos para asssitir.





sexta-feira, 22 de março de 2013

A saga dos pneus





Conforme relatei em meu POST sobre minha sina com pneus furados, venho fazendo a lição de casa.

O que entendo por esta lição? Bem, pneus infuráveis não existem. No entanto, existem formas de minimizarmos muito esta situação, tanto em treinos, como em provas.

Quando falamos de treinos, a performance é o que menos importa. Força é força, watts são watts e 4 horas de pedal são 4 horas de pedal, independentemente se está a 25km/h, 30km/h ou 45km/h. O objetivo é realmente termos o mínimo de pneus furados.

Já quando falamos de competição, a complexidade aumenta. Por mais que soe agradável ter uma tecnologia que praticamente te isenta de furos em provas, existe uma gangorra. Quanto mais proteção temos, mais lento vamos. Pelo menos é este o padrão que eu identifiquei lendo um monte de especificação de farbicantes. Um site legal que dá para coletarmos esta informação é o da Schwalbe. (http://www.schwalbe.com/gbl/en/produkte/race/produkt/?ID_Einsatzbereich=11&showAllProducts=true). O fabricante disponibilizou uma ferramenta de busca fantástica. Escolhemos a característica do pneu e ele vai "filtrando" o rsultado. Ali podemos identificar claramente este padrão "gangorra".

quinta-feira, 21 de março de 2013

SOLOMAN: Treinão reconhecimento 30/30



SOLOMANS!
Neste próximo dia 30/03, teremos um treinasso no BROA Resort em Itirapina. Neste dia, fecharemos os detalhes da infraestrutura com o Tarek e com o Helton, gerente do hotel.
Depois, sairemos para 160km de pedal no circuito da prova e 5km de corrida por dentro do resort, parte do circuito da prova de corrida.
Uma excelente oportunidade para treinar no próprio circuito e sanar possíveis dúvidas.
A foto aí é só para já bater a vontade!

SOLOAbraços
Ulisses

quarta-feira, 20 de março de 2013

Vendo Rodas ZIPP 808 e 404





Vendo minhas rodas de competição:

- Tipo: Tubular
- Traseira ZIPP 808
- Dianteira ZIPP 404
- Ano: 2009
- Usada em 1 Ironman, 3 meio irons, 2 olímpicos, 1 GP Extreme.
- Acompanha pneu traseiro Vittoria Competition Rally e pneu dianteiro Continental Competition
- Não acompanha cassete
- A roda está em ótimo estado. Ela possui, no entanto, riscos no gancho da blocagem traseira e alguns poucos na blocagem dianteira. Alguns pequenos furinhos nos adesivos "ZIPP" devido ao uso nas provas e transporte.

Preço: R$4000,00

Interessados, favor deixarem mensagens aqui neste post.

Mais fotos:




















terça-feira, 19 de março de 2013

Pneus e as questões lógicas e metafísicas



Estou diante de um problema lógico e um problema metafísico.

Adoro treinar, adoro evoluir nos treinos e na nutrição ano após ano. Adoro saber que aos quase 37 anos de idade tenho forma física melhor que a imensa maioria dos garotos e ainda evoluo. Ao contrário da maioria dos triatletas, eu não gosto das competições e provas. Não gosto do nervosismo que as antecedem, não gosto de polimento, não gosto da nutrição anterior necessária, não gosto do clima de provas, não gosto da quantia de dinheiro gasto. A única coisa que realmente gosto nas competições é a sensação pós-prova de dever cumprido quando atinjo um objetivo planejado. Sinal de que evoluí como atleta.

Já percebi também que independentemente de ter provas no calendário, minha rotina de treinos é idêntica. Estou sempre treinando várias horas por semana, estou sempre fazendo treinos de velocidade, de endurance, de força, funcionais, sempre. Este é um estilo de vida que abraço e gosto. Com provas no calendário, as únicas coisas que mudam são alguns treinos chave, um polimento e algum planejamento alimentar nos dias que as antecedem. De resto, meu dia a dia com ou sem provas é exatamente o mesmo.

Para mim a prova não é uma luta de guerrilha daquela que tenho que à qualquer custo passar a fronteira inimiga, muito menos uma diversão que faço rindo como se fosse uma balada diurna. Uma prova é apenas uma data no calendário onde tenho que cumprir uma determinada distância no menor tempo possível. O fato de estar alinhado na largada com outros atletas é excelente, no entanto, para termos base de comparação.

Uma prova portanto, sob a minha ótica, tem apenas uma única e exclusiva função: uma data onde terei um determinado objetivo cumprido. Fora isso, uma prova não tem a menor função para mim. Sairei feliz se conseguir o objetivo e triste se não conseguir. Apenas isso.

Onde está o problema lógico então? Bem, é aqui que entram os pneus e seus malditos furos. O fato de um pneu furar em uma prova e eu ter que trocá-lo, simplesmente já não tenho o meu objetivo atingido. Não me faz o menor nexo lógico, portanto, tentar terminar uma prova nestas condições. Um DNF ou a conclusão de uma prova muitas colocações abaixo da planejada, para mim, não fazem a menor diferença. Minha sensação de missão não cumprida é exatamente a mesma. O problema lógico, portanto, que criei em minha cabeça é: pneu furado = objetivo não cumprido. Se quero ter meu objetivo cumprido, pneus não podem furar. E, de certa forma, isto aconteceu todas as vezes, isto é, todas as vezes que o pneu não furou, atingi o objetivo proposto.

sexta-feira, 8 de março de 2013

Produtos eticamente corretos. Será?



Nem tudo é como parece...


(Texto retirado do Instituto Nina Rosa)

Diante da pressão exercida por pessoas que, como você, usam de seu direito de escolha para que uma transformação aconteça, inúmeras empresas em todo o mundo estão se adequando a padrões éticos de produção e prestação de serviços, sem deixar de atender às necessidades do mercado. Para que mais empresas sejam incentivadas a levar em consideração as práticas danosas aos seres humanos, aos animais e ao meio ambiente, é necessária a atuação e vigilância constante do consumidor.

Segundo o Instituto Ethos de Responsabilidade Social (www.ethos.org.br), uma empresa responsável é aquela que tem a capacidade de ouvir os interesses das diferentes partes (acionistas, funcionários, prestadores de serviços, fornecedores, consumidores, comunidade, governo e meio-ambiente) e consegue incorporá-los no planejamento de suas atividades.

quarta-feira, 6 de março de 2013

O SOLOMAN começou a fervilhar!




Durante um tempo, o SOLOMAN estava um pouco apagado. Cheguei a acreditar por algum momento que iríamos largar eu, o Rodrigo Massoni, o Fernando Quirino e o Curado no dia 26/05 lá na represa do BROA. Sinceramente, eu não estava me importando muito rsrsrs. Masssss, a coisa começou a fervilhar!

Finalmente começaram a aparecer SOLOMANS. Nomes começaram a pipocar, o Tarek, que nos ajudará na infra básica da prova como o pórtico, cones, placas, bóias, caiaques, cavaletes, etc e os custos para a estada no BROA Resort também saíram. Agora sim, há interação!!!!

O BLOG DO SOLOMAN começou a ficar mais movimentado, os atletas começaram a enviar seus perfis e a coisa mais bacana que estou reparando é que tem atleta de todo nível. Desde os mais inexperientes até caras com mais de 20 anos de triathlon que já fez até Ultraman! Imaginem a festa que vai ser isso!

Nunca fiquei tão empolgado com uma prova. O fato de eu estar fazendo toda a manutenção do blog, de estar publicando as novidades e de estar fazendo parte disso tudo está me dando um ânimo fora do comum!
Ano passado, nestas alturas, eu estava preocupado, estava me cobrando por causa do Ironman 2012 em Floripa. Este ano, estou parecendo uma criança brincando de treinar e não vendo a hora que isso tudo chegue! Dá até vontade que o pneu estoure só para ficar mais tempo curtindo a prova rsrsrsrsrsrs.

Posso estar tendo uma visão um tanto romântica da coisa, mas analisando o triathlon do jeito que está, cada vez mais elitizado, mais excludente, com mais pessoas buscando status do que paixão pelo endurance, não acho difícil que iniciaivas como esta comecem a pipocar pelo Brasil. O Soloman para os profissionais até não faz muito sentido mesmo. Entretanto, para os amadores, de qualquer nível, um SOLOMAN poderá se tornar algo muito bacana! Uma nova forma de enxergar o triathlon. Na verdade, apenas a forma antiga que está sendo resgatada.

Sinceramente, espero que este dia de 26/05 sirva de um marco e de um exemplo para que outros nos acompanhem nos próximos ou criem estas iniciativas em suas regiões.

Estou empolgadasso!

Alguns dos SOLOMANs já publicaram seus perfis no Blog. Bem bacana de ver a diferença que os separam em termos de experiência, mas a semelhança que os aproxima pela paixão ao esporte de endurance. Confiram lá:
http://solomantri.blogspot.com.br/search/label/SOLOPerfil

SOLOMAN!