segunda-feira, 16 de setembro de 2013

Ulisses 0 x 40 doença




Após 40 dias de uma verdadeira saga para encontrar o que estava acontecendo comigo, finalmente, a resposta: Toxoplasmose Ganglionar.

Nos primeiros 12 dias deste período me senti muito mal. Febre, dor de cabeça, dor no corpo, dor atrás dos olhos, calafrios, muita fadiga, mal estar. Obviamente, completamente longe dos treinos.

Como eu havia acabado de participar de uma competição, e já vinha de semanas duras de treino, suspeitei logo de algum tipo de overtraining. Os sintomas também eram muito similares a uma dengue, no início. Com o teste negativo para tal, resolvi procurar um médico especializado nesta área esportiva com conhecimento nas questões hormonais e endocrinológicas. Minhas investigações começaram para este lado. Eu não podia acreditar muito que aquela minha sensação tinha alguma coisa a ver com desequilíbrios agudos adrenais ou coisas parecidas, mas, não custava tentar. Na minha cabeça, no entanto, não conseguia negar a possibilidade de ser algum tipo de infecção. Não havia nem se quer descartado a dengue ainda, já que o exame tem alto grau de falsos negativos.

Os resultados dos exames iriam demorar a sair, então, comecei uma busca frenética por alguma resposta estudando muitas horas diariamente. Meus sintomas haviam melhorado, comecei a voltar aos treinos muito de leve. Aprendi sobre todas as doenças virais possíveis e para a minha surpresa, descobri duas coisas incríveis. A primeira é que a grande maioria das doenças virais possuem grande parte dos sintomas muito similares, sendo muito difícil um diagnóstico clínico. Digamos que comecei a entender porque os médicos falam o genérico "virose". A outra que descobri é que não há tratamento (antibióticos) para virus. O que existe é tomar medicamentos para amenizar os efeitos dos sintomas e antibióticos para, por ventura, acabarmos com bactérias oportunistas. O tratamento em si para a imensa maioria deles era repouso e líquido. Portanto, me ative a isso.

Os treinos, apesar de estarem muito leves, minha frequência cardíaca estava bem elevada, o que me dava um claro sinal de que algo ainda estava errado, no entanto, de forma geral, eu estava me sentindo bem. Após 10 dias seguidos de treinos bem leves, em um belo dia, não me senti bem novamente e vários gânglios apareceram na minha cabeça e no meu pescoço. Dali, parei com os treinos totalmente e resolvi me recuperar 100% antes de mais nada. Obviamente, a saga pelas respostas continuavam e estavam me deixando louco.

Ao sair o resultado dos exames, não tinha nada que pudesse indicar alguma coisa de overtraining (apesar disso ser algo extremamente mal compreendido e com difícil diagnóstico). O que deu para ter certeza absoluta é que realmente se tratava de uma infecção. Fígado ligeiramente aumentado, TGO e TGP ligeiramente elevados, presença de leucócitos atípicos, uma febre baixa que não me abandonava e os gânglios. Tudo apontava para este caminho. O meu médico então me pediu mais três sorologias: dengue novamente, toxoplasmose e citomegalovirus. Foi aí que tive o resultado da toxoplasmose.

Parece absurdo, mas foi um alívio. Foram muitos dias de tortura atrás de respostas. Muito, mas muito pior do que estar doente e sem treinar é não saber o que se tem. Como meus olhos percorreram textos  e mais textos das mais variadas doenças e todas tinham alguma coisa "a ver", chega uma hora que dá um certo desespero, um certo ar de desenganação. Digamos que em um determinado momento, poderia ser tudo. Sem força de expressão. Tudo mesmo. Com um diagnóstico definitivo em mãos, tudo fica mais fácil. Mesmo doente, o bom humor volta e a vida continua mais tranquila.

Portanto, o que eu tive não teve nada a ver com treinos? Engano, teve TUDO a ver. A toxoplasmose é um protozoário que pegamos em água contaminada, carne mal passada, verduras mal lavadas, coabitação com gatos, etc. Só que, assim como 70% da população brasileira, eu já estava infectado a tempos, só que como meu sistema imunológico sempre foi forte, a doença não se manifestava, assim como não se manifesta em 90% das pessoas que estão infectadas. Portanto, era óbvio. Eu simplesmente devo ter destruído meu sistema imunológico com uma sobrecarga de treinos, algum erro nutricional que não acompanhou tal sobrecarga e que simplesmente foi chancelado no campeonato brasileiro de duathlon, onde o esforço foi muito grande. Ali, provavelmente, decretei a completa destruição de meu sistema imunológico.

Portanto, além de me curar, hora de rever o treinamento ao qual me submeti, hora de incluir mais alguma coisa na nutrição que fortaleça meu sistema imunológico. Particularmente acredito que 90% da culpa disso tudo foi do treinamento. Realmente venho me submetendo a treinamentos muito além daquilo que eu estava acostumado e não é de hoje. Digamos que faz pelo menos um ano que venho fazendo isso. Acho que fui destruindo meu sistema imunológico aos poucos e culminou no último dia 04 de agosto. Paguei o preço de minha decisão.

Esta é a primeira vez que fico tanto tempo parado, sem fazer nenhum esporte, em 22 anos de atividade física diária. Não é nada gostoso. No entanto, só voltarei aos treinos quando perceber que não sinto nenhum sintoma mais. Não vou nem estimar um prazo. A toxoplasmose é uma doença de lenta cura mesmo e vou respeitar este período. Estou obviamente muito melhor, mas de vez em quando aparece algum sintomazinho muito leve, como alguma indisposição, ou alguma tonturinha, que passam muito rápido. Mas, são sinais de que meu corpo ainda está reagindo e vou dar esta chance a ele.

A lição que aprendi? O corpo não é máquina. Tem horas que menos é mais. Se manter saudável é infinitamente mais eficiente e inteligente do que "cumprir a planilha" planejada. Eu que sou um cara que sempre tentei pregar isso, caí na minha própria arapuca. Me testei e paguei o preço.

Esta é a saga do esporte. Não falamos sempre de testar os limites? Pois bem, testei os meus. Nunca mais pretendo testá-los. Nossa saúde é muito frágil para acharmos que somos invencíveis. Decididamente, não vale à pena. 

Para os outros atletas que costumam ler este post, façam o dever de casa. Usem toda e qualquer medida para fortalecerem o sistema imunológico. Testem-se com sabedoria. Fiquem atentos aos sinais do corpo e dêem uma importância alta à recuperação. Para os fãs de suplementos, usem-nos com sabedoria, para os não fãs, estudem e entendam quais alimentos devem ser incluídos para tal. O nosso sistema imunológico é a nossa garantia de saúde para nos manter no esporte.

Abraços 
Ulisses

6 comentários:

  1. Respostas
    1. Fala isso pros caras que comem carne e chegam 1h atrás de mim nas provas. Rsrsrs

      Excluir
  2. Que bom que vc descobriu o problema e tenho certeza que vai acertar o caminho de volta.

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Pô, essa o Twitter esqueceu de me avisar! Estava completamente por fora dessa bronca!
    Bem que achei estranho o longo hiato em seu blog...
    Melhoras cara!
    Abraço,
    George

    ResponderExcluir