quinta-feira, 12 de dezembro de 2013

Enquanto isso, no mercado...




Esses dias eu estava de bobeira e fiquei andando nas gôndolas de mercado olhando toda aquela imensidão de produtos alimentícios nas prateleiras. Caixas, pacotes, saquinhos, potes de todas as cores e formatos. O pessoal de marketing dessas empresas sabem o que fazem. Eu que sou um cara para lá de crítico da nossa indústria de alimentos, bato o olho em alguns ali e minha boca já começa a salivar. Às vezes nem sei o que é.

A parte que mais me chama a atenção, no entanto, é o apelo, quase materno, que os rótulos desses produtos tem. Um apelo de carinho, de cuidado. Nos passam realmente a impressão de que foi preparado com todo o amor "da vovó". 

Eu sabia que aqueles potes, de amor e cuidado com a saúde da população, não tinham nada. Resolvi começar a olhar a lista de ingredientes, como sempre faço, mas dessa vez, não apenas lê-los, mas bater fotos para que em casa eu conseguisse compilar uma planilha, com tudo consolidado. Alguns produtos possuem a letra impressa tão pequena que tenho a impressão que a imensa maioria da população, ainda que quisesse e se interessasse, não conseguiria lê-las.

O meu objetivo era pegar componente por componente desses e ir atrás de estudos que apontam para problemas de saúde como cânceres, problemas gástricos, cardíacos, hepáticos, neurológicos, respiratórios, alergias, etc. O que posso afirmar é que existe um MUNDO de informação e eu perderia meses para fazer tal pesquisa, para, no final, depois de publicar esse post, ter que ler comentários como: "mas a ANVISA liberou" ou "nos EUA, o FDA liberou" ou "a indústria de alimentos não faria isso consoco" ou "existe um estudo que prova que isso não faz mal" ou "mas se você for ver isso, você não come nada" e por aí a fora. Estou numa fase um tanto com a "beleza cansada", se é que me entendem rsrsrsrs.

Portanto, por razões de sanidade mental e de preguiça, resolvi simplesmente publicar a planilha consolidada, deixando para o leitor o trabalho de tal pesquisa. Pelo menos não podem mais dizer que "não enxergam os rótulos".

Fico imaginando o dia em que alguma legislação que obrigue as indústrias a colocar nos rótulos a origem transgênica ou os pesticidas utilizados nos determinados produtos entre em vigor...

Lembrando que para cada produto, está associado a PELO MENOS UM aditivo daquela linha, não necessariamente a todos. É só clicar na barra de rolagem horizontal da planilha abaixo.

Boa diversão!