sábado, 4 de janeiro de 2014

33km de insanidade total





De vez em quando temos que sair para uns desafios "extra" treinamento. Não são necessariamente desafios de performance, mas desafios daqueles "vamos ver se chegamos no fim e em que condições" rsrsrs. Algo extra nadar/pedalar/correr, transição, séries, blocos, etc. Um destes foi hoje em companhia dos meus amigos Marcos Faria e Lucas Ferro. Aproveitando já para mais um reconhecimento do que estará por vir em março.

O desafio era o seguinte: sair do Pouso Livre de Atibaia, seguir a Av. Santana até a parte que ela vira terra e seguir para o Clube da Montanha. Lá chegando, pegar a estrada que vai em direção à Pedra Grande, só que antes, entrar à direita, na trilha que leva à Pedra do Coração em Bom Jesus dos Perdões e voltar para a estrada da Pedra Grande. Subir até a Pedra e descer pela trilha convencional "single track" até o condomínio Arco Íris e, finalmente, chegando novamente ao Pouso Livre. Impossível este circuito com carros convencionais. Depois da Pedra Grande, apenas possível a pé. Antes dela, apenas a pé, de carro 4x4, motocross ou MTB.


O último trecho de trilha da Pedra até o condomínio Arco Íris só foi possível porque meu chapa Guilherme Lemos me mostrou alguns dias antes.

Os três com mochilas de hidratação, carboidratos e eletrólitos suficientes para a jornada (ou, pelo menos, achávamos que era suficiente rsrsrs).

O objetivo não era chegar o mais rápido possivel nem "apostar corrida". Era um teste psicológico de sobrevivência. 33km seriam o de menos. O problema eram os 1450m de altimetria acumulada e o "desconhecido", já que eu não conhecia pelo menos 30% do percurso e os dois, muito menos rsrsrs.

Como se dosar para não quebrar? Daria para fazer o trecho inteiro correndo?



Bem, quebrar ninguém quebrou, mas em muitas subidas era realmente necessário andar. A velocidade de se correr e andar era exatamente a mesma, com a diferença do batimento cardíaco parecendo que estava em tiro de 400m. Fora o sol que estava bem quente, pelo menos durante as duas primeiras horas de percurso. Passamos por alguma restrição de água, mas achamos uma bica salvadora lá pelo km 25.

Os detalhes desta corrida foram muitos, não há palavras para relatar todas as experiências que tivemos, mas sem dúvida, foi algo inesquecível.

Terminamos os três bem cansados. De lá, fomos para o Açaí e já chegamos pedindo três grandes com cinco granolas. Eu aqui ainda pedi mais um. Apenas 1,2 litros de açaí com dois potes de frutas deram para encher o buraco do dente rsrsrs.

A pergunta que não quer calar ao final deste treino: a Ultra de 57km que queremos fazer em março será viável visto o nível de destruição?

Bom, certamente, depois de 5h de permanência outdoor e 4h10 em treino, sem dúvidas, os 33kms mais inesquecíveis que já tive.

Lucas e Marquinhos na Pedra do Coração 
Eu e Marquinhos na Pedra do Coração 
Lucas e Marquinhos na Pedra Grande 
Eu e Marquinhos na Pedra Grande

Pedra Grande


Açaíííí